Oii galera, hoje vim trazer pra vocês o primeiro top 10 do blog e como estamos em clima de ano novo, nada melhor do que mostrar para vocês quais foram as minhas 10 melhores leituras de 2015. Foi um ano bem produtivo em que descobri novos autores e fiz leituras maravilhosas. Bom, então chega de blablabla e vamos ao que interessa, só quero lembrar vocês que os livro estão em ordem de leituras.

1. Battle Royale, Koushun Takami
Sinopse: Em 1997, o jornalista e escritor japonês Koushun Takami sofreu uma grande decepção. O manuscrito de seu romance de estreia havia chegado à final do Japan Grand Prix Horror Novel, concurso literário voltado para a ficção de terror, mas acabou preterido. Não era para menos. Embora habituado a tramas assustadoras, o júri se alarmou com a história do jogo macabro entre adolescentes de uma mesma turma escolar que, confinados numa ilha, têm de matar uns aos outros até que reste apenas um sobrevivente. Detalhe: o organizador da sangrenta disputa é o próprio Estado japonês, imaginado pelo autor como uma totalitária República da Grande Ásia Oriental. O livro, intitulado 'Battle Royale', só seria lançado em 1999, espalhando um rastro de polêmica – vendeu mais de 1 milhão de exemplares e foi comentado no Japão inteiro. A repercussão foi tão intensa que apenas um ano depois já eram lançadas as adaptações da história para o cinema e para os mangás – mais tarde, viriam sequências tanto na tela grande como nos quadrinhos.
*Eu amei esse livro, dizem  que ele inspirou Jogos Vorazes, porém na minha opinião são bem diferentes a essência é a mesma. Battle Royale foi surpreendente e provocou em mim diversas emoções diferentes durante a leitura e apesar de ter mais de 600 páginas isso não foi um problema, eu amei tudo nesse livro, um dos melhores com certeza. (resenha)

2. Mentirosos, E. Lockhart
Sinopse:Os Sinclair são uma família rica e renomada, que se recusa a admitir que está em decadência e se agarra a todo custo às tradições. Assim, todo ano eles passam as férias de verão numa ilha particular. Cadence — neta primogênita e principal herdeira —, seus primos Johnny e Mirren e o amigo Gat são inseparáveis desde pequenos, e juntos formam um grupo chamado Mentirosos. Cadence admira Gat por suas convicções políticas e, conforme os anos passam, a amizade com aquele garoto intenso evolui para algo mais. Mas tudo desmorona durante o verão de seus quinze anos, quando Cadence sofre um estranho acidente. Ela passa os próximos dois anos em um período conturbado, com amnésia, depressão, fortes dores de cabeça e muitos analgésicos. Toda a família a trata com extremo cuidado e se recusa a dar mais detalhes sobre o ocorrido… até que Cadence finalmente volta à ilha para juntar as lembranças do que realmente aconteceu. 'Mentirosos' é um suspense moderno e sofisticado, impossível de largar até que todos seus mistérios sejam desvendados. Ao mesmo tempo, a prosa lírica e o estilo seco e denso o fará mergulhar de cabeça no mundo dos Sinclair e nas crescentes angústias de Cadence — para então vir à tona completamente impactado.
* Um dos livros mais comentados de 2014, foi uma das melhores leituras de 2015. Foi um livro maravilhoso pra mim, a autora foi incrível em tudo o que fez na trama e eu me apaixonei pela escrita dela, espero ter mais oportunidades de ler mais coisas dela. (resenha)

3. Ensaio sobre a cegueira, José Saramago
Sinopse: Um motorista parado no sinal se descobre subitamente cego. É o primeiro caso de uma 'treva branca' que logo se espalha incontrolavelmente. Resguardados em quarentena, os cegos se perceberão reduzidos à essência humana, numa verdadeira viagem às trevas. O Ensaio sobre a cegueira é a fantasia de um autor que nos faz lembrar 'a responsabilidade de ter olhos quando os outros os perderam'. José Saramago nos dá, aqui, uma imagem aterradora e comovente de tempos sombrios, à beira de um novo milênio, impondo-se à companhia dos maiores visionários modernos, como Franz Kafka e Elias Canetti. Cada leitor viverá uma experiência imaginativa única. Num ponto onde se cruzam literatura e sabedoria, José Saramago nos obriga a parar, fechar os olhos e ver. Recuperar a lucidez, resgatar o afeto: essas são as tarefas do escritor e de cada leitor, diante da pressão dos tempos e do que se perdeu: 'uma coisa que não tem nome, essa coisa é o que somos'.
* Não poderia deixa de fora esse clássico da literatura do qual eu tive o prazer de ler, foi uma leitura obrigatória da faculdade, mas que li com muito prazer. O "ensaio sobre a cegueira" é mais do que uma simples história, é uma metáfora de como vivemos nossas vidas e como encaramos a realidade, espero que todos possam ler esse clássico. (resenha)

4. Quem é você, Alasca? , John Green
Sinopse: Miles Halter é um adolescente fissurado por célebres últimas palavras que, cansado de sua vidinha pacata e sem graça em casa, vai estudar num colégio interno à procura daquilo que o poeta François Rabelais, quando estava à beira da morte, chamou de o 'Grande Talvez'. Muita coisa o aguarda em Culver Creek, inclusive Alasca Young, uma garota inteligente, espirituosa, problemática e extremamente sensual, que o levará para o seu labirinto e o catapultará em direção ao Grande Talvez.
* Apesar de muita gente não gostar tanto dos livros do John eu gosto bastante, e "quem é você, Alasca?" conquistou um lugarzinho no meu coração, com uma protagonista feminista, independente, forte e enigmática John soube construir uma linda história. (resenha)

5. Para sempre Alice, Lisa Genova
Sinopse: Alice (no filme, interpretada por Julianne Moore) sempre foi uma mulher de certezas. Professora e pesquisadora bem-sucedida, não havia referência bibliográfica que não guardasse de cor. Alice sempre acreditou que poderia estar no controle, mas nada é para sempre. Perto dos cinqüenta anos, Alice Howland começa a esquecer. No início, coisas sem importância, até que ela se perde na volta para casa. Estresse, provavelmente, talvez a menopausa; nada que um médico não dê jeito. Mas não é o que acontece. Ironicamente, a professora com a memória mais afiada de Harvard é diagnosticada com um caso precoce de mal de Alzheimer, uma doença degenerativa incurável. Poucas certezas aguardam Alice. Ela terá que se reinventar a cada dia, abrir mão do controle, aprender a se deixar cuidar e conviver com uma única certeza: a de que não será mais a mesma. Enquanto tenta aprender a lidar com as dificuldades, Alice começa a enxergar a si própria, o marido (Alec Baldwin), os filhos (Kate Botsworth, Hunter Parrish e a queridinha de Hollywood, Kirsten Stewart) e o mundo de forma diferente. Um sorriso, a voz, o toque, a calma que a presença de alguém transmite podem devolver uma lembrança – mesmo que por instantes, e ainda que não saiba quem é.
* Uma das leituras mais tocante e emocionante que li esse ano, que retrata como é a vida de alguém que tem Alzheimer desde o descobrimento da doença até o seu progresso, foi uma lição de vida. (resenha)

6. O menino do pijama listrado, John Boyne
Sinopse: Bruno tem nove anos e não sabe nada sobre o Holocausto e a Solução Final contra os judeus.Também não faz idéia de que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos de que sua família está envolvida no conflito. Na verdade, Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar a espaçosa casa em que vivia em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde ele não tem ninguém para brincar nem nada para fazer. Da janela do quarto, Bruno pode ver uma cerca, e, para além dela, centenas de pessoas de pijama, que sempre o deixam com um frio na barriga. Em uma de suas andanças Bruno conhece Shmuel,um garoto do outro lado da cerca que curiosamente nasceu no mesmo dia que ele. Conforme a amizade dos dois se intensifica, Bruno vai aos poucos tentando elucidar o mistério que ronda as atividades de seu pai. 'O Menino do Pijama Listrado' é uma fábula sobre amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável.
* Um livro que me conquistou pela inocência da personagem principal, com uma história simples, mas muito linda John Boyne soube nos mostrar o valor da amizade tendo como pano de fundo um dos momentos mais tristes da humanidade: o holocausto. 

7. Nascida à meia-noite, C.C. Hunter
Sinopse:  Kylie Galen está na pior. Seus pais vão se divorciar, seu namorado acaba de romper com ela e uma noite, depois de ser presa por estar na festa errada, com as pessoas erradas e na hora errada, é enviada pela mãe para Shadow Falls – um acampamento para adolescentes problemáticos, localizado numa cidade chamada Fallen, no meio de uma misteriosa floresta. Isso muda sua vida para sempre. Poucas horas depois de chegar, ela descobre, assustada, que seus colegas não são apenas “problemáticos”. Kylie nunca se sentiu normal, mas também não se considera como uma daquelas aberrações paranormais. Ou será que ela é? Em Shadow Falls, vampiros, lobisomens, metamorfos, bruxas e fadas aprendem juntos a desenvolver seus poderes, controlar sua magia e viver no mundo normal. No entanto, as coisas tomam um rumo diferente quando dois carinhas interessantes entram em cena. Derek, um fae que possui poderes mágicos, quer a todo custo ser seu namorado e Lucas, um lobisomem com quem ela partilha um passado secreto. De início, tudo o que Kylie deseja é sair de Shadow Falls e voltar para casa. Porém, com Derek e Lucas ocupando um lugar cativo em seu coração e depois de descobrir que ela própria tem estranhos poderes, talvez sua vida nunca mais volte a ser a mesma...
* Minha saga amorzinho, fiquei fascinada pelo mundo construído pela autora nesse livro e encantada pelos personagens, ainda não terminei de ler todos os livros, mas a cada livro lido me apaixono mais ainda por esse mundo sobrenatural, pra quem gosta de sobrenaturais é quase que uma leitura obrigatória hahaha. (resenha)

8. Histórias em retalhos, Nina B. Prescott
Sinopse: Histórias em Retalhos é uma coletânea de contos intrínsecos e sinceros que narra a história de uma mãe introspectiva, o amor de uma irmã pelos irmãos bastardos, uma garota apaixonada e uma filha que enfrenta dificuldades com a perda dos pais. A coletânea aborda de forma sensível o sentimento mais singelo de todos: o amor.
* Esse livro repleto de contos e poesias me encantou, Nina através de uma escrita simples e fácil me conquistou em cada conto e poesia lida, além de abordar um dos sentimentos mais bonitos da humanidade que é o amor em suas diversas faces, formas e fases. (resenha)



9. Primeiras impressões, LRDO
Sinopse:Primeiras Impressões é uma adaptação moderna do clássico 'Orgulho e Preconceito' de Jane Austen. O romance eterno de Lizzie e do Sr. Darcy é situado desta vez entre paisagens paradisíacas do Brasil e cenários surpreendentes dos Estados Unidos, em um relacionamento complexo entre uma carioca sarcástica e brilhante e um político americano de uma família conservadora. 
* Esse livro como a própria sinopse diz é uma releitura de "orgulho e preconceito" da Jane Austen e depois de ter lido "primeiras impressões" de uma coisa eu tenho certeza é que eu gostei tanto desse livro que quero ler o da Jane Austen, a autora foi muito inteligente em fazer uma adaptação bem brasileira do jeito que nós gostamos e por ser baseado em um livro famoso não achei que em nenhum momento faltou originalidade. (resenha)
10. Eu estive aqui, Gayle Forman
Sinopse: Quando sua melhor amiga, Meg, toma um frasco de veneno sozinha num quarto de motel, Cody fica chocada e arrasada. Ela e Meg compartilhavam tudo... Como podia não ter previsto aquilo, como não percebera nenhum sinal?A pedido dos pais de Meg, Cody viaja a Tacoma, onde a amiga fazia faculdade, para reunir seus pertences. Lá, acaba descobrindo muitas coisas que Meg não havia lhe contado. Conhece seus colegas de quarto, o tipo de pessoa com quem Cody nunca teria esbarrado em sua cidadezinha no fim do mundo. E conhece Ben McCallister, o guitarrista zombeteiro que se envolveu com Meg e tem os próprios segredos. Porém, sua maior descoberta ocorre quando recebe dos pais de Meg o notebook da melhor amiga. Vasculhando o computador, Cody dá de cara com um arquivo criptografado, impossível de abrir. Até que um colega nerd consegue desbloqueá-lo... e de repente tudo o que ela pensou que sabia sobre a morte de Meg é posto em dúvida. Eu estive aqui é Gayle Forman em sua melhor forma, uma história tensa, comovente e redentora que mostra que é possível seguir em frente mesmo diante de uma perda indescritível.
* E por último, mas não menos importante fecho o meu top 10 com "eu estive aqui" da Gayle, uma autora que soube abordar temas densos como depressão e suicídio de forma leve e sensível fazendo o leitor se envolver com a leitura sem ser algo pesado ou denso de ser lido. (resenha)

Espero que tenham gostado do meu top 10.
- beijos, Carol!















6 Comentários

  1. Seu Top 10 tá incrível, tem livros aí que eu super adoro também, como por exemplo Para Sempre Alice, Eu Estive Aqui e Nascida à Meia-Noite. Vou ver se faço uma lista de melhores lá no blog também...

    Beijo, Vanessa Meiser - Retrô Books
    http://balaiodelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Vanessa, faz sim quero ver quais foram as suas melhores leituras, amo essas listas.
      - Beijos, Carol!

      Excluir
  2. Seu top 10 é bem diversificado em gêneros, não?! Alguns livros eu gostei, mas outros não faz meu estilo, como Ensaio sobre a Cegueira. Enfim, muito legal seu post!

    http://www.leitorasvorazes.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii Lilian, só depois que você comentou é que eu percebi que ficou bem diversificado mesmo hahaha, é que eu tento ler de tudo um pouco.
      -beijos, Carol!

      Excluir
  3. Oi xará!
    Desses livros o único q já li é Quem é vc, Alasca?, q adorei tbm <3
    Gayle Forman, Histórias em retalhos e Nascida a meia noite, preciso ler! *-*
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii xará, leia sim e quando vc ler me conte o que achou.
      -beijos, Carol!

      Excluir